segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Da série: postagens antigas - parte VIII - texto do dia 29/10/2006.


* A verdade sobre o amor *

O espelho mostrava o enlace das pernas, quatro pernas que formavam duas aspas abstratas, dois mundos que se encontravam ali.
A imagem refletida deixava transparecer a primeira (e última) possibilidade de amor (amor assim, verdadeiro).
Dentro da concha dormiam (com os olhos cerrados) e sonhavam (com dias bonitos que ainda viveriam).
Escreveriam a sua história em pequenas placas de "néon" (só pra te plagiar).
Diriam sim àquela sensação que deixava as duas nucas quase sempre arrepiadas.

3 comentários:

Estefanie Fernandes disse...

E o amor sempre existiu *-*

Sara disse...

"Diriam sim àquela sensação que deixava as duas nucas quase sempre arrepiadas."

Tão bonito... E o amor é sempre bem bonito. Principalmente quando as pequenas coisas são assim compartilhadas e tão sentidas e sinceras.
Te adicionei no orkut esses dias, Natália... Se puder, dê uma olhada no meu blog, fiz esses dias. Vamos ver o que será que será.

Beijos... :)

Felinea disse...

o amor em possibilidades :))

adorei teu texto.

lindas e doces palavras. parabéns!