quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Da série postagens antigas - parte XV - texto do dia 16/11/2006.


* Para a minha querida "Tangerine" *

Não que tu sejas a salvação para uma vida antes parada, antes morna, antes triste, antes sossegada, empoeirada, bolorenta e sem graça.
Mas quando tu chegaste, o mundo ganhou um tom que eu não poderia descrever.
Fizeste dos dias, os dias mais ensolarados que já vivi.
Fizeste de um simples cigarro de chocolate, o melhor aroma que já senti.
Fizeste das minhas mãos tristes, felicidade.
Fizeste da minha boca, um coração rosado que pulsa em teu lado esquerdo.
Fizeste da quarta-feira de cinzas, um desfile eterno da Portela.
Quando chegaste, te reconheci.
O meu coração adormecido há anos acordou novamente pra esse amor.
Quando apareceste naquele dia em tons de verde, eu sabia que não mais poderia estar longe de ti.
"Só essa lembrança, me deixe essa ao menos".
E quando passamos pelas ruas e falas sobre daqui a dez anos.
Minha garganta dói.
A vontade de te abraçar me invade.
As lágrimas ficam presas nos meus olhos castanhos (porque pra ti querida, meus olhos apenas sorrirão).
Eu era um "Joel" sem Mountak para sonhar.
E agora que te tenho, Clementine (do cabelo claro), minha busca chegou ao fim.

PS: " " = Nomes, lugar e frase retirada do filme "Brilho eterno de uma mente sem lembranças".PS II: De hoje mesmo: 13/11/2008 >>> Dia treze para comemorarmos novamente.

3 comentários:

Estefanie Fernandes disse...

Que coisa mais linda!!!
Fico mais e mais encantada com os seus textos *-*

Beijo!

Frαncy; disse...

Que lindo texto.!

Achei teu blog por aí, e me encantei! :)
Coloquei-a nos meus links ;)



beijinhos!

Felinea disse...

e eu lembrei uma das minhas preferidas do Led:

"Tangerine, Tangerine, living reflection from a dream;
I was her love, she was my queen, And now a thousand years between."

beijos.