terça-feira, 25 de novembro de 2008

Da série postagens antigas - parte XVII - texto do dia 21/11/2006


* Pequena declaração para a mocinha que fez do coração dele a sua morada * (ou ainda * Para quando ele encostar nas mãos dela*)

Não o censurem, senhores.
Antes o relacionamento amoroso pra ele nada mais era uma reunião de etapas a serem vencidas.
Vivia assim uma coisa opaca, uma situação sem calor, uma vidinha morna.
Usava as normas, se comprometeu com uma aliança de prata em um dos dedos.
Era um carinha assim respeitado (e quase que infeliz).
Era apaixonado pelo amor (pelo sentimento, não por alguém).
O amor fazia dele o prisioneiro, seu refém, seu bode expiatório.
Ele amava a simples idéia de estar amando (e isso parecia lhe bastar).
Então ela chegou com aquela franja nos olhos, aquela voz rouca, aquele jeito tão lindo de andar, aquela forma doce de sussurar, aquelas mãozinhas que o procuravam embaixo do edredon, aquela linda nuca (que só em sonho antes ele conhecera), aquelas risadinhas, aquele cheiro amadeirado, aquela doçura, aqueles beijos, aquele abraço (que parecia lhe proteger dos males do mundo), aquele casaco azul marinho e branco (com o qual ficava mais ela ainda), com aquela adoração pela Penélope Cruz, com aquele vocabulário gigantesco de inglês, com aqueles programas de computador (que ele nada compreendia), com aquela vontade de "pra sempre", com aquela clavícula (moldada por Deus), com aqueles jeitos adoráveis, com aquelas coxas, com aquele silêncio quando encontravam os olhos, com aquele mundo (no qual ele queria urgentemente viver), com aquela vontade de "cavacas" do armazém, com aquela emoção quando ouvia Vitor Ramil.
E então ele resolveu deixar de lado a vontade de estar apaixonado pelo amor.
(e ele agora estava apaixonado por ela).
PS: A tua beleza é algo inenarrável.

4 comentários:

Adrielly Soares disse...

Eu sou viciada no amor, e apaixonada pelo amado.
:*

Adorei o conto.

Juliana* disse...

Mais uma vez, amei o texto!

E é perfeito quando amamos o amor EM alguém!

Parabéns.Adoro quando vejo as atualizações!

até mais

Juliana

tia xuxu disse...

Ainda estou apaixonada pelo amor.
Será possível encontrar alguém que personifique esse sentimento?
Espero ter a mesma sorte do rapaz!^^

Beijão!Boa semana,xu!

Sara disse...

"Vivia assim uma coisa opaca, uma situação sem calor, uma vidinha morna.
Usava as normas, se comprometeu com uma aliança de prata em um dos dedos."

Tão minha-e-dele essa história. Tão familiar. Tão cheia de amor. Tão sincera e sentida.

Beijos, Natália! :)