segunda-feira, 25 de agosto de 2008


* Das conclusões *

Não é que ninguém te amou, te ama ou te amará como eu te amo.
Mas o que eu tenho por ti daria uns grandes capítulos de um livro sem fim que quase ninguém teria o disparate de ler por pura preguiça.
Porque o que eu sinto por ti ultrapassa o convencional.
Contigo, estou despido de pudores, tristezas, de "ais", de "uis", de licença para isso, aquilo e aquele outro. Despido até mesmo de velhos paradigmas que me faziam crer que amar era estar preso a alguém, um "depender" que abafa.
Porque tu me ensinaste a ser mais homem que muitos caras que eu conheço. Tu fizeste com que eu me desligasse de medos, de frustrações e me mostrou um mundo bom onde tu existes, eu existo e para podermos ser ainda mais felizes apertamos nossas quatro mãos e somos capazes de tudo.
Não é que ninguém te ame mais que eu, entretanto eu serei para sempre teu companheiro, teu sorriso predileto, tua vontade de melhorar, tua donzela em apuros, teu cavaleiro da armadura reluzente, teu desejo, tua tara, teu gemido, teu rosto inchado, teu melhor amigo, teu marido, teu homem, tua mulher.
Eu poderia até apostar, mas sei que até tu não sabes quantas linhas cortam tua mão direita. E eu posso te dizer, até mesmo de uma pequena rachadura que divide uma delas. Mas como isso é uma aposta deixo também decretado que te direi mais tarde (quando nós dois estivermos sozinhos).
Porque te amo sabendo das tuas encanações, dos teus sonhos, das tuas estrelas da sorte no céu, do teu santo preferido, da trilha sonora da tua vida, tuas pequeninas teimosias, das tuas cinco tatuagens, da nota musical colorida que mora no teu dorso, das tuas loiras penugens no meu rosto.
E não é uma questão só de corpos. Porque tem aquela gente que acredita que toda a fome de amor acaba na cama. A minha fome é saciada só com o que vem depois, com o café da manhã na cama ao teu lado. Encher tua xícara de leite e ver o farelo do biscoito no canto da tua boca. E tirar o farelo dali com um beijo meu. Não é apenas uma questão de corpos que combinam, mas sim de almas que se completam.
E uma questão de coração. Que pulsa rápido, por isso essa minha constante pressa de ti.
Não é que ninguém te amou, te ama ou te amará como eu, entretanto eu te conheço desde o começo e quero prosseguir a conhecer (e a me surpreender).

PS: Porque tu me fazes sorrir ainda mais.
PSII: A partir dessa semana estarei publicando postagens mais antigas do "taiagarridoI". Beijinhos. ; )

7 comentários:

natypaolav disse...

LINDO!

Estefanie Fernandes Simões disse...

Um amigo meu te acha incrível, mas diz não gostar dos textos, porque falam sempre da mesma coisa, amor.
Mas é isso que eu mais gosto, você consegue falar de amor de várias formas possíveis *____*

ótimo texto, como sempre!

Ps.: Aê!!! Vou poder ler os textos antigos que o outro blog não me deixa \o/

Carla P.S. disse...

Olha...Ainda bem que eu não sou diabética, pq, tamanha docibilidade reunida num só texto.. Mas daqueles doces que a gente curte, mesmo com capuccino (e açúcar), pra passar a vida inteira discutindo. Lindo, e emocionante saber que alguém no mundo sente isso. MUITO AMOR pra vocês.
Beijos!

Buemba :) disse...

Mas estas postagens mais antigas são pra mim também, né?
:)

Ah, amor, tu és a pessoa mais linda que eu conheci neste mundo. E também a que eu mais posso confiar, a que mais me enche de orgulho e a única que me deixa com todas as certezas desse mundo.
É como tu diz: Acredita que eu também acredito, e será assim pra sempre!
TE AMO!
Um beijo do teu amor.

Babi disse...

Que texto lindo, Natália! Que o AMOR, no sentido mais lindo da palavra, abençoe seus corações sempre!
Beijinhos!
:*

GERMANA disse...

LINDO..LINDO...MUITO AMOR P VCS SEMPRE!

Anônimo disse...

Aprendi muito