terça-feira, 26 de agosto de 2008


Da série: postagens antigas - parte I - texto do dia 10/10/2006

* Das vezes em que o coração se faz poesia *

O tule azul.
Só lembraria do tule azul passados três dias do grande ocorrido.
Tule azul, pele clara de pequenas veinhas cor "Listerine", brocais, calor intenso, as lágrimas presentes naqueles olhos, "uma quase chuva" que os acompanhava, a mão dela perdida no ar, os passos dele descoordenados.
Lembrou do tule apenas três dias depois quando ainda recordava daquele beijo.
Aqueles sorrisos.
Lembraria do tule azul que combinava com o bonito brinco de pedrarias quando acordasse (do sonho, talvez).
Diria um "bomdiamundoeuestouaqui" e sentiria o tule azul.
A parede branca, a inexistente brisa, o antúrio vermelho de plástico, as borboletas que cobriam o ventre, das mãos que "conversavam", as ruas pelas quais se perdeu.
Do "R" que estava escrito em seu caderno (vida).
Sonharia com o tule azul e o cheiro de terra úmida lá fora.
(e se Deus o ouvisse, seria realmente feliz).


PSI: Pessoas queridas que me presenteiam com as visitas no blog, agora estarei postando alternadamente um texto novo e um texto antigo (do Taia Garrido I). Os textos antigos virão sempre com imagens em preto e branco para melhor compreensão. : )
PSII: Espero que gostem. Ah, estou aberta a eventuais reclamações também. Beijos para todos!

4 comentários:

thá disse...

Oie.
eu sempre estou lendo os textos, e posso dizer que são perfeitos.
Amo mto.
Parabéns.

:P :) :D

Estefanie Fernandes Simões disse...

*___*

Belíssimo!

Mabelle disse...

Olá! Acho que vc nao deve se lembrar de mim. Ano passado deixei um rceado no seu orkut elogiando seu blog. Venho sempre aqui, fico encantada com seus textos. Agora tambem criei um blog pra mim, tá no inicio ainda... rs
Parabens novamente!
Beijos

Anônimo disse...

Seus textos continuam ótimos.Millena :)