terça-feira, 8 de julho de 2008


* Para Laura *

Às vezes para se contar uma verdadeira história de amor não se faz necessário um homem, uma mulher, ou um príncipe, uma princesa, uma bruxa má, mas uma bruxa tão má que seja péssima, uma torre alta, longas tranças, ou ainda um plebeu poeta paupérrimo e uma dama da alta aristocracia e poesias que o primeiro dedicou à segunda.
De vez em quando para se escrever uma história de amor basta uma menina com olhinhos rasgados, aparência indígena, sorriso escancarado, uma vontade de proporcionar amor e um cachorrinho.
Sim, vocês estão lendo isso mesmo, um cachorrinho.
Não um cachorro qualquer. Ele tem que ser um buldogue, corpulento e cheio de dobrinhas. Com o focinho constantemente úmido e que lamba as pontas dos dedos da pequena indiazinha quando ela sentir-se só. Que não a abandone nunca.
Não precisa ser o cão mais bonito do mundo, basta ser o mais companheiro.
A menina e o objeto de sua afeição desbravarão ruas e parques de Porto Alegre felizes. Saberão que tem um ao outro e nada mais importará. Os eventuais obstáculos que vencerão (juntos) parecerão tão diminutos que os ultrapassarão como quem pula as casas da amarelinha feita de giz verde no final da quadra.
E este cãozinho não terá um nome pomposo como Napoleão, pretensioso como Raul, Ramiro, nem banal como Rex. A menina índia quer um nome simples e carinhoso como Guinho. E eles serão perfeitos assim.Laura sabe que um dia Guinho irá crescer, talvez não caiba mais apenas no quarto dela, talvez esqueça de seus bons modos, faça xixi onde não deva, envelheça, rosne para os vizinhos, torne-se mal humorado, mas a menina também sabe que Guinho caberá SEMPRE dentro de seu coração.
Às vezes para se contar uma história de amor se faz unicamente preciso um buldogue chamado Guinho e uma menina chamada Laura.
PS: Laurinha, porque eu sei quanto o Guinho é importante pra ti. Beijo da mana que te ama. : )

3 comentários:

Mari disse...

que singelo! amei!
é tão bom ter o amor de um bichinho...
tu escreves muito bem... adoro teu blog :) sinto que ter esperança no amor sempre é necessário quando eu leio teus textos, tu fazes tudo parecer tão possível!

Estefanie Fernandes Simões disse...

assino embaixo do que a guria de cima disse o/

Rene disse...

triiiiiiii bonito!