quinta-feira, 26 de novembro de 2009


* Ensaio sobre o amor, sobre nós dois *
Eu bem sei que a tua vida agora está meio corrida, assim como a minha, mas não posso deixar de te lembrar o quanto te amo.
Eu também sei que a maioria das pessoas se perdem em momentos assim.
Entretanto nós dois, querida, sempre nos encontramos.
Porque há de sempre ocorrer um carinho telepático,
um e-mail de "euteamoprasempreecadavezmaisamordaminhavida",
um sorriso,
um gesto,
um beijo roubado...
para nos salvar.
Escritos em cartas dentro de caixas douradas. Ficam lá guardados os hinos que cantam o nosso amor.
És a moça da minha vida.
Sou o moço que te fará feliz (prometo...).
Porque amor também é ser companheiro.
E, às vezes, alguns esquecem disso.
O amor é cultivado em todos os momentos.
Intangível é o amor que os outros querem. Com perfeccionismo, exibicionismo, posses, ranhaduras da dura realidade.
Possível é esse amor, o mais bonito de todos, que nos une... que é o lugar mais quente e doce do mundo inteiro.
Enquanto a maioria das pessoas se perdem,
eu sempre acabo te encontrando dentro do meu coração.
PS: Amanhã!!! Sim, sim... veremos a querida Bella e o brilho poético do Edward!!!

4 comentários:

Mori disse...

Eba!!
Te amo mais que tudo, amor!!!
Tu estás sempre comigo.

Beijos!!!

Fabiana disse...

Oi Natália, tudo bem?

Eu sempre gostei das suas postagens e já participei de duas comunidades suas no orkut, das quais gostaria muito de ver o texto inteiro. Você poderia postar aqui? São eles: Vermelho e Declaração de amor ligeira. :)

Um beijo!

Proud Mary disse...

Naty Querida!

Como sempre, as tuas palavras enchem o mundo de ternura e inspiração. São as coisas simples do dia a dia e os pequenos gestos que demonstram o quanto amamos uma pessoa! Me identifico muito com teus escritos, ainda mais agora, que encontrei meu amor de verdade. E como é bom quando encontramos a pessoa certa, não é?

Beijos da Madrinha!

ps: esperamos vocês para o chá de panela em janeiro, hein?!

Jobah Gharozzi disse...

Oi Natália, esbarrei com seu blog. Estava meio com pressa mas arrumei um tempo pra ler um post seu e comentá-lo.

Achei belissimo esse texto. Fala de um amor mais humano, do que o amor que muitos poetas cantam.
Carregado de detalhes e emoções, traz a luz a verdadeira essÊncia do amor: aceitação!

Belissimo.

Passo a te seguir.
Bjosss